Você Está Deixando Dinheiro na Mesa

 

Tempo de Leitura: 02 minutos e 30 segundos

 

A Internet opera sobre a regra 90/9/1. 90% dos usuários consomem conteúdo, 9% editam e somente 1% criam. O lado produtor – em qualquer segmento do capitalismo – possui maiores benefícios financeiros de acumulação de capital do que o lado consumidor. Então por quê não fazer parte do 1%?

 

A mídia até poucos anos atrás era centralizada em TV, rádio e mídia impressa (jornais e revistas). O Facebook, Instagram e Twitter – para não mencionar outros como Snapchat, Tumblr, Pinterest – revolucionaram este cenário. E eles criaram uma oportunidade incrível para aqueles que estão ligados na importância de controlar a produção de conteúdo direcionada ao nicho de mercado específico que está sedento em consumir. E é aqui que entra sua oportunidade. Não deixe mais o dinheiro na mesa!

 

Os três magos hoje são o Facebook, Insta e Twitter. E eles tem coisas em comuns. Mas cada plataforma tem o seu design, tem sua linguagem, o seu público. E se você não se atentar isso seu post vai morrer em meio a imensidão de outros posts na feed do seu público. Para ter sucesso em épocas de redes sociais é necessário seguir algumas regras – sim até aqui temos regras.

 

Além do já mencionado respeito do design da plataforma, você precisa se atentar a constância de seus posts e oferecer um grande conteúdo. Os posts devem ser feitos para oferecer valor a sua audiência e não para você se sentir bem. As pessoas quando entram nas redes sociais entram visando consumir algo que tem valor para elas. E este valor pode ser: fugir dos problemas do dia a dia, do stress do cotidiano, ver fofocas de famosos, ver informações sobre esportes, enfim… existem inúmeras formas de fugir da dor e encontrar o prazer, e que você precisa aprender para entregar.

 

O que você pode oferecer se encaixa em três segmentos: social networks (aproximar as pessoas, oferecer senso de conexão, acompanhar a vida alheia); games (fornecer ferramentas para escapar do dia a dia, oferecendo dopamina como gratificação instantânea); utilidades (mapas, organizadores de rotina, aplicativos de performance, apps de treino, alimentação, etc). Então, foque isso na hora de esboçar o seu plano inicial de ataque.

 

Outro pilar fundamental para sucesso nas mídias é prestar atenção na cultura que seu público está inserido. Cada geração tem sua cultura por trás, e se você não se atenta a cultura do seu público alvo, você vai falhar. Mostre que você entende dos assuntos e interesses que seus fãs também se ligam, pois isso é fundamental para criar uma conexão com seu público.

 

Por fim, veja que temos o chamado MICRO. Não fique empurrando algo para seu público toda hora, 24/7, sem oferecer um conteúdo de valor antes. Todos querem vender algo (produto, serviço, ideologia, etc…), mas como é oferecido isso faz toda diferença. Primeiro busque oferecer conteúdo valioso antes de qualquer coisa. E este oferecimento de valor deve ser MICROGERENCIADO, pois é necessário estabelecer uma conexão a nível pessoal com sua audiência. Isso significa responder comentários, interagir, enfim, ser e desenvolver um lado HUMANO.

 

Vamos ao que interessa de cada REDE SOCIAL? Então anote os principais pontos antes de realizar os posts em cada uma delas. As perguntas devem ser respondidas a si mesmo antes de apertar o ENVIAR.

 

FACEBOOK

A sua feedline possui muitos posts diários. É necessário ter visibilidade para ter sucesso. Anote as seguintes perguntas para responder a si mesmo antes de postar qualquer coisa.

 

O texto está longo?

 

O conteúdo é provocativo?

 

A foto está em alta qualidade?

 

A logo está visível?

 

O post está adequado para a plataforma?

 

O call to action está cristalino?

 

TWITTER

 

O Twitter é muito mais ácido que o FB. Ele apresenta ironias de forma exponencial. A moeda principal no FB é a amizade. No Twitter é informação e notícia.

 

A Hashtag está certa?

 

A sua imagem está em alta qualidade?

 

O seu tweet é autêntico?

 

O conteúdo tem uma ressonância com sua audiência? 

 

INSTAGRAM

 

O instagram faz sucesso por conta do gatilho de dopamina de curto prazo: imagens e vídeos. Saiba quem é seu público para poder causar isso neles.

 

A imagem é voltada para o que o povo está procurando ao abrir o Instagram? Lembre-se que todos querem buscar escapismos do dia a dia, sentir prazer e fugir da dor.

 

A história é engajadora?

 

Você tem constância nos posts e nos instastories?

 

Existem inúmeras nuances para você ter um sucesso nas redes sociais. Inclusive, você pode ganhar dinheiro gerenciando as redes sociais dos outros. SIM! Esse mercado está crescendo cada vez mais nos EUA, e no Brasil está engatinhando. Se você for esperto, pode entrar antes da concorrência abocanhar tudo.

 

Se você tem interesse em desenvolver suas redes sociais e compreende que elas são uma verdadeira mina de ouro do século XXI, sugiro que você conheça  o programa que pode fazer você alcançar resultados nunca imaginados. Inclusive, além de outros temas imprescindíveis para o sucesso, vamos abordar o tema de mídias sociais, para que você implemente ele em seu dia a dia, podendo ser de uso pessoal ou profissional, gerenciando as suas ou as redes de terceiros. De um lado ou de outro você vai ganhar.

4 thoughts to “Você Está Deixando Dinheiro na Mesa”

    1. Olá Cowboy, obrigado pelo elogio.

      Para alguns negócios essas ferramentas são utilizadas. Mas cabe um detalhe importante aqui.

      Especificamente quanto ao escritório, a OAB restringe MUITO estratégias de marketing. Então na advocacia estas ferramentas são quase todas proibidas. Desta forma, não utilizo na advocacia o que uso em outros negócios. Não vale a pena você arriscar com a OAB, sob pena de sanção e suspensão de advogar.

      Abraços!

  1. Muito bom post!

    Manter constância de postagens em redes sociais é bem desafiador mas com certeza é um dos pilares de manter uma fonte de clientes online.

    Um dos principais desafios que vejo para produtores de conteúdo online é a questão de o que entregar de graça e o que entregar para clientes pagantes. Por exemplo, eu sigo no Instagram um cara que vive só de vender cursos online de finanças. Todo dia o cara faz stories falando sobre finanças, o cidadão já falou tanta coisa que talvez quem compre o curso não tenha tanta novidade…

    Em finanças diria que esse problema é até menor, pois é um mundo muito vasto para se explorar, mas em nichos mais específicos é muito difícil ficar postando todo dia e manter esse equilíbrio de conteúdo pago e gratuito.

    Abraços!

    1. Fala Ministro, obrigado pelo elogio.

      É um desafio se manter sempre criativo, apresentando o conhecimento de formas variadas e agradáveis de se consumir.

      Realmente é uma dúvida de muitas pessoas o que entregar de graça e o que cobrar. Esse ajuste vem com o tempo e a experiência de erros e acertos.

      O que é comum ao material gratuito e pago é o valor entregue ao público. Pois se o público não gostar do que está vendo, aí sim ele vai ter certeza de que não vai pagar por nada.

      Entretanto, eu vejo que mesmo que você entregue conteúdo valioso de graça – e eu não hesito em fazer isso – o público vai te remunerar como forma de retribuição por tudo aquilo que você já fez por ele. O ser humano – sem sua maioria – funciona com reciprocidade.

      Forte abraço!

Leave a Reply